Como parte do projeto em curso, pretendemos tornar disponíveis, para fins de investigação académica e de conhecimento público, materiais diversos que documentam e representam diferentes momentos do colonialismo português, da descolonização e do fim do império.

Estes materiais incluem documentos escritos e visuais, testemunhos pessoais e objetos memoriais e artísticos, que vão sendo recolhidos como resultado da pesquisa em curso e da participação aberta daqueles que ativamente contribuem para o projeto através da doação de documentos e testemunhos pessoais.

São fragmentos, minúsculos pedaços da realidade complexa do passado a partir dos quais pretendemos criar memória. No seu conjunto constituem um território não icónico, lacunar, contingente e imperfeito. O Arquivo assim constituído nega, pois, o engessamento do passado, para se conceber como um espaço aberto, sempre passível de inúmeras leituras e interpretações, e que, tal como a operação da memória, jamais se fechará numa configuração definitiva.