Angola: o Êxodo e o desespero dos desalojados, 1975.

Entre os cerca de 1.300 portugueses que diariamente saem de Angola existe “um ódio ao comunismo” e, ainda que a grande maioria se assuma como socialista, estes cerca de 300 milhares de refugiados “representam uma força política considerável” em Portugal. Diário de Coimbra, 9 de setembro de 1975, última página, Coimbra.

Biblioteca Nacional de Portugal (BNP)