Combates intensificam-se no nordeste de Luanda, 1975.

Com a aproximação da independência, assiste-se a uma intensificação dos combates entre o Movimentos Popular de Libertação de Angola (MPLA) e a Frente Nacional de Libertação (FNLA), a nordeste de Luanda. O MPLA controla actualmente a capital e 12 das 16 províncias do país, mas as tropas da FNLA encontram-se a apenas 50 km da capital, que se debate com dificuldades de abastecimento. A região de Nova Lisboa, uma das principais regiões agrícolas do país, está na posse da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), que se aliou ao FNLA. Em comunicado, “a UNITA expressa o desejo de que Portugal se não arrisque a entregar o poder apenas ao MPLA, o que provaria a cumplicidade das autoridades de Lisboa com o MPLA e causaria grandes prejuízos ao povo angolano.” Diário de Coimbra, 9 de outubro de 1975, 1ª pág., Coimbra.

Biblioteca Nacional de Portugal (BNP)