Situação duma retornada, 1977.

Relato de uma retornada de Angola. Tendo regressado em 14 de outubro de 1975, Luísa Alvarenga Neves, de 57 anos, acusa o IARN de descriminação entre os retornados e questiona o seu propósito. Conta que, por ser viúva e se ter declarado como doméstica, não teve direito a qualquer subsídio por parte do IARN além dos 2 mil escudos que recebeu no Natal. Jornal de Notícias, 27 de março de 1977, última pág., Porto.

Biblioteca Nacional de Portugal (BNP)