Narrativas de Perda, Guerra e Trauma: Memória Cultural e o Fim do Império Português

Os eventos relacionados com o fim do império colonial Português – as guerras coloniais e o êxodo maciço da África – são eventos marcantes na sociedade portuguesa contemporânea. No entanto, o fim do império português e os dramas que o acompanharam permanecem pouco estudados.

 

Que consequências tiveram o fim dos impérios, não só para as populações colonizadas, mas também para as populações da metrópole colonizadora?

Como são vividos, narrados e incorporados os eventos traumáticos relacionados com a história colonial tardia no Portugal pós-colonial?

O que significou a rutura provocada pelo fim abrupto do império colonial português na constituição de uma subjetividade pós-colonial?

Que imagens do tempo colonial detêm estes sujeitos pós-coloniais e como influem essas representações nas questões da imigração, racismo e cidadania multicultural contemporâneas?

 

Agenda de Investigação

Beneficiando de um financiamento público através da Fundação para a Ciência e Tecnologia (IF/01530/2014), este projeto tem uma agenda de investigação inovadora situada no cruzamento entre as ciências sociais e as humanidades, beneficiando dos contributos da antropologia, da história, dos estudos da memória e dos estudos pós-coloniais.

O objetivo do projeto é compilar, analisar e expor objetos e narrativas de memória sobre os eventos relacionados com a colonização e descolonização portuguesas, incidindo particularmente sobre o evento do “retorno” de nacionais à metrópole no contexto das independências africanas. Estas narrativas de memória incluem o testemunho pessoal, as biografias familiares, as narrativas ficcionais (literatura, filme e performance), e as memórias públicas oficiais, por meio das quais questões como a guerra, a violência, a perda e o trauma são expressados e incorporados no meio social.

Tendo por base pesquisa de arquivo, entrevistas testemunhais e a participação ativa das próprias pessoas que são objeto de pesquisa, o projeto visa:

  • Construir um arquivo de imagens, documentos e objetos, que esteja ao dispor da comunidade científica e, assim, contribuir para o aumento do conhecimento sobre o tema;
  • Ser um instrumento de história pública, procurando formas comunicativas de disseminar e expor o arquivo na sociedade em geral, através da conceção de exposições (físicas ou virtuais), da produção de documentários, ou da edição de materiais de divulgação para o grande público.
  • Promover o desenvolvimento de uma memória crítica do colonialismo e da descolonização em Portugal e na Europa pós-colonial, contribuindo para a investigação comparativa sobre o tema.

 

Equipa

 Coordenação: Elsa Peralta, Investigadora, Centro de Estudos Comparatistas, CEC.

Ana Barrinha, Bolseira de Investigação, Mestranda em Antropologia, Centro de Estudos Comparatistas (CEC)

Bruno Góis, Bolseiro de Investigação, Doutorando em Antropologia, Instituto de Ciências Sociais (ICS–UL)

Joana Oliveira, Bolseira de Doutoramento FCT, Instituto de Ciências Sociais (ICS–UL)

Colaboradores:

– André Amálio, Mestre, Director Artístico, Doutorando na University of Roehampton, Reino Unido

– Christoph Kalter, Doutor, Professor Assistente no Center for Global History, Freie Universität Berlin

– Isabel Ferreira Gould, Doutora, Investigadora independente

– Nuno Domingos, Doutor, investigador no Instituto de Ciências Sociais (ICS–UL)